terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Dia 1.









 

No meu calendário interior, o primeiro dia do mês assinala o caminho interior que vou fazendo até ao dia da noite mais bonita, um advento silencioso e intransmissível, cada vez mais, um caminho quieto e sossegado,  Mesmo que os dias lá foram digam outra coisa, dias de azafama, a roçar, por vezes, alguma esquizofrenia. Estes dias quero assim, quentes, tranquilos e com muita luz.

Com a primeira mesa do primeiro dia uma receita que andava a ser prometida há muito. Bife tártaro.


Como fazer:

Para 2 bifes tártaros:


Para o bife tártaro:

300 g de carne picada + 1 cebola roxa picada + salsa picada + sal + 2 colheres de sopa de molho inglês + umas gotas de tabasco + pimenta preta 


Junta-se a carne picada com os restantes ingredientes e mistura-se. Reserva-se no frio até ao momento de servir.


Para a emulsão de mostarda de Dijon:

3 gemas + 1 colher de sopa de mostarda de Dijon + 250 ml de óleo + 1/4 de chávena de café de água + sal fino


Bate-se as gemas com a mostarda, o sal e a água até obter uma mistura ligeiramente espumosa. Junta-se o óleo em fio, pouco a pouco até a maionese engrossar. Reserva-se no frio.


Para acompanhar:

Rúcula + 1 maçã + ketchup + 2 gema + batatas fritas aos palitos


No momento de servir molda-se o bife tártaro com as mãos e faz-se uma  ligeira cova, para colocar a gema. Faz-se uma cama com a rúcula e a maçã laminada e ao centro coloca-se o bife e por cima a gema. Serve-se com o ketchup e a emulsão de mostarda.


Ao lado as batatas fritas aos palitos.


quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Partilha.


 

 




A receita que fica hoje, fazia parte do meu imaginário, o bolo que eu pensava que nunca conseguiria fazer por ser difícil, demorado e que me consumiria a paciência. Até que um dia  se materializou e nada disso, nada de partes difíceis ou complicadas ou demoradas. Bem fácil até o bolo que tem um nome tão lindo, colchão de noiva. A receita chegou à minha mão pela minha irmã, que faz bolos como ninguém. Foi confiada pela Olga, que para lá do talento para fazer bolos também tira fotos magnificas como esta ou esta
Fica o crédito e a receita escrita pela sua mão. E o meu obrigada, pela partilha da receita e das imagens lindas que consegue captar.

Nota: fiz metade da receita para o bolo e a receita completa para o recheio que acabou por sobrar.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Prolongar o Verão.








Prolongar o Verão numa sobremesa fresca. Bem fresca. Um gelado feito com a base de sempre. Depois aquilo que quisermos. E desta vez quis umas bolachinhas de chocolate. Aqui fica a receita do gelado essencial.

Como fazer:

2 pacotes de natas + 1/2 lata de leite condensado + 1 pacote de bolachas partidas em pedaços

Bate-se as natas, bem frias, e acrescenta-se o leite condensado. Depois as bolachinhas partidas. Vai ao frio durante umas horas, ou de preferência de um dia para o outro.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

De restos.






Para aproveitar restos de um jantar, em que sobraram umas postas de salmão grelhado e umas quantas batatas cozidas, uns hambúrgueres deliciosos. Depois de pesquisar algumas receitas fiz uma versão mais de acordo com os nossos gostos. Fácil e rápido de se fazer, ideal para aqueles dias da semana em que o jantar tem que ser feito em menos de nada.

Inspirada aqui

Como fazer:

4 batatas + 2 postas de salmão grelhado (sem peles e sem espinhas) + sal + pimenta preta + 1 ovo + salsa picada + 2 colheres de sopa de farinha + 1 cebola picada + pão ralado

Nota 1: Não utilizo pão ralado de compra. Aproveito restos de pão e transformo o pão que já não se come em pão ralado. Para os hambúrgueres ou para almôndegas utilizo o ralador da cenoura. Faz toda a diferença na textura, ficam mais leves, mais arejados.

Nota 2: Para a cebola utilizo também o ralador 

Nota 3: Os raladores são estes.

Esmaga-se as batatas com um garfo e acrescenta-se o ovo batido. De seguida, o salmão desfeito em lascas, depois a cebola picada, a salsa, o sal e a pimenta. Por fim a farinha. Aqui, a quantidade de farinha pode variar, o melhor mesmo é ir acrescentando até estar no ponto em que se consiga moldar.

Formam-se hambúrgueres e leva-se ao frio para ficarem mais firme, de preferência 1 hora.  
Depois desse tempo, coloca-se o pão ralado num prato envolve-se os hambúrgueres e vão a fritar em óleo bem quente.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Como se quer.






Bolos simples para o dia a dia, fáceis e rápidos de fazer, como se quer nos dias atarefados da semana. Mas mesmo assim com um apontamento de graça, as flores pequeninas de que gosto tanto. E depois, nas pequenas pausas, chá, café ou o que nos apetecer, para acompanhar este bolinho doce e perfumado.

Como fazer:

1 iogurte natural + 3 ovos inteiros + 3 copos (iogurte) de açúcar + 3 copos (iogurte) de farinha +  1 copo (iogurte) de óleo + sal + 1 colher de sopa de raspa de gengibre + 1 colher de chá de canela em pó + 1 colher de chá de fermento em pó 

Bate-se os ingredientes todos juntos durante 5 minutos e de seguida leva-se ao forno a 180 º numa forma untada e polvilhada, durante mais ou menos 30 minutos. Faz-se o teste do palito e quando estiver cozido retira-se do forno. Deixa-se arrefecer ligeiramente e desenforma-se.
Polvilha-se depois com icing sugar.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Caminhos.












Nesta terra de ventos temperamentais e indomáveis, o dia começa cedo. Bem cedo. Caminheiros, peregrinos, ciclistas, atletas, surfistas cruzam-se, numa azáfama, com os banhistas corajosos, que se aventuram a enfrentar a nortada fria e agreste. Nos dias em que o vento é mais agreste, e não dá para praia, uma das alternativas são as caminhadas. Junto ao rio, junto ao mar ou por caminhos mais interiores mergulhamos no silencio da natureza e vamos vendo e sentindo de pleno os cheiros de verão, a uva morangueira com o seu aroma inconfundível, a terra quente ao sol do meio dia, o aroma  dos pêssegos doces, as figueiras carregadas de frutos negros e de todos eles a correr uma lágrima de mel, as rosas, o cheiro a resina e a hortelã. As amoras a ficarem naquele ponto certo para serem colhidas, as espigas douradas à espera de serem transformadas em alimento precioso. São os cheiros do verão, o cheiro a liberdade, a paz e tranquilidade. A dias grandes e noites estreladas. A dias que são tudo e que sabem assim como uma sombra fresca em redor de uma casa em dias de calor.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Casa, em casa.





À minha espera, uma casa que me acolhe sempre de braços abertos, os meus cantos, as minhas coisas, as minhas pessoas. Tudo aqui reunido para uns dias de descanso bem merecido.  Casa, em casa. Com tudo o que pressupõe de bom e de belo.

domingo, 13 de agosto de 2017

Início precioso.











Todos os inícios são preciosos. Mais ainda quando estes inícios são preludio de dias grandes de preguiça e de descanso. Tempo com tempo, de calma e tranquilidade. Depois dos dias todos que cabem num ano este tempo começou assim. Um dia inteiro passado num parque num piquenique, leve, fresco e colorido, como se querem as refeições ao ar livre e como se querem também os dias nesta altura do ano. Com os dias grandes, um livro, que me acompanhará durante as férias. Assim começa o mal, neste caso, assim começa o bem.